Salmão fresco fica mais caro

Restaurantes sofrem com a alta no preço da iguaria

Os apreciadores do salmão, um dos peixes mais nobres da culinária, agora terão um gasto maior na hora de inseri-lo na receita ou degustá-lo num restaurante. O aumento no preço do peixe aconteceu devido a uma perda de 25% da produção de salmão fresco do Chile, responsável por atender a demanda brasileira. Além de abastecer a América do Sul, o salmão chileno é exportado para a América do Norte e Ásia, o que gerou aumento internacional no preço.

Os donos de restaurantes de Pernambuco já estão sofrendo com o aumento do preço do produto que chega a 65%. “Nós tentamos reter o repasse do aumento de insumos para os clientes em muitas ocasiões, mas em determinadas situações é impossível não repassar o custo direto da matéria prima”, explica o presidente da Abrasel em Pernambuco, André Araújo.

Quem se prejudica ainda mais com baixa oferta do salmão fresco são os donos de estabelecimentos que trabalham com culinária japonesa. O empresário André Saburó, proprietário do Quina do Futuro e conselheiro da Abrasel em Pernambuco, recomenda que os restaurantes não baixem a qualidade do produto oferecido pela casa. “Para tentar sair do problema sem repassar tanto o custo para os clientes, devemos ter criatividade na hora de pensar nos pratos e utilizar peixes que também são muito bons, como o atum e o peixe branco”, sugere.