Cardápio bilíngüe está previsto em lei

LEI promulgada em 2013 ainda não é cumprida integralmente. No entanto, a Copa está funcionando como incentivo

Uma lei municipal, promulgada em 2013, obriga donos de bares e restaurantes do Recife a terem em seus estabelecimentos cardápios bilíngues. Segundo o texto, os menus deverão ser confeccionados nas línguas portuguesa, inglesa e/ou espanhola, estando dispensados da obrigação os restaurantes do tipo “self-service”. Embora ainda não seja cumprida integralmente, a Copa do Mundo está incentivando os estabelecimentos a se adequarem. Em alguns casos, até cardápios em braile já são oferecidos.

Atualmente, a Região Metropolitana no Recife conta com, aproximadamente, 2,7 mil estabelecimentos, entre bares, restaurantes e casas de chá. Na opinião do diretor Executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco (Abrasel-PE), Valter Jarocki, o idioma será uma das principais barreiras enfrentadas pelo setor durante a Copa do Mundo. “É impossível dizer que estamos preparados, porque nunca passamos por um desafio como esses. Teremos uma diversidade muito grande de turistas, mas adotaremos o inglês como língua oficial”, afirmou.

Na Zona Sul, o proprietário do Biruta Comedorias do Mar, André Araújo, situado à beiramar da praia do Pina, dispõe em seu restaurante de cardápios em inglês e em braile. “Este último foi possível graças a uma parceria entre a Abrasel e o governo do Estado, há cerca de quatro anos”, explica. “Como recebemos muitos turistas, estamos produzindo também a versão em espanhol”, afirmou. O serviço deverá estar disponível até o Carnaval, quando a casa recebe um fluxo grande de turistas.

Na churrascaria Boi & Brasa, no bairro de Boa Viagem, o mapa de cortes bovinos é escrito, além do português, em outros cinco idiomas. A ideia surgiu ainda na época da Copa das Confederações e será utilizada também na Copa do Mundo, quando a movimentação no local poderá até dobrar. “Também estamos preparando um cardápio bilíngue e oferecendo aulas de inglês para a nossa equipe de frente”, acrescentou o proprietário do estabelecimento, Cesar Ongaratto.

Embora a Zona Norte do Recife não seja área de concentração de hotéis, o dono do Cordel Botequim, Paulo Nascimento, também planeja traduzir o seu cardápio. Como o local serve comidas típicas, a tradução será feita por profissionais. “O nome, às vezes, fica o mesmo. Nos preocupamos mais com a descrição do prato, colocaremos os ingredientes em inglês”, destacou.

Folha resume

Grande Recife possui atualmente cerca de 2,7 mil estabelecimentos gastronômicos, entre bares, restaurantes e casas de chá. Apesar de legislação recente, Abrasel reconhece que a língua será uma das principais barreiras enfrentadas pelo setor durante a realização do evento da Fifa no Estado.

Saiba mais

 

FALHA - Até no Aeroporto Internacional do Recife, principal porta de entrada de turistas estrangeiros no Estado, é possível encontrar alguns estabelecimentos que ainda não disponibilizam cardápios bilíngues aos seus clientes.



Matéria Folha de Pernambuco - dia 20/01/2014 - http://zip.net/bbl8TR