Somente coordenados pela Abrasel, Pernambuco lista hoje 14 eventos anuais, que vão da roda de boteco à mesa do restaurante. Com cardápios exclusivos e preços mais em conta, propostas crescem e estimulam cadeia

Além de promover a culinária local, os festivais gastronômicos que acontecem na Região Metropolitana do Recife (RMR) ajudam a movimentar a cadeia de bares e restaurantes das cidades. Os eventos, que oferecem pratos a custos fixos e reduzidos, incrementam o faturamento dos estabelecimentos e atraem um maior número de clientes. Em alguns casos, o aumento de público chega a 50%, enquanto o faturamento das casas sobe até 30%. O turismo local também se beneficia com o aumento do fluxo de visitantes, já que o Recife possui o terceiro mais importante polo gastronômico nacional e o primeiro do Nordeste.


O formato dos eventos, que estimula a competitividade e a criatividade entre os estabelecimentos participantes, é uma oportunidade para que os empresários mostrem suas marcas ao mercado. “Sendo assim, é preciso inovar na elaboração dos pratos, investir na melhoria do atendimento e, consequentemente, numa melhor qualificação dos funcionários”, explica o diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco (Abrasel-PE), Valter Jarocki.


De acordo com ele, até a forma de gerenciamento é trabalhada. “O empresariado precisa traçar estratégias de marketing diferenciadas, estabelecer metas, pensar em preços mais acessíveis para fidelizar os novos clientes após o término dos festivais”, afirma. A Abrasel-PE promove quatro dos 14 eventos gastronômicos que o Recife sedia todos os anos.


O festival Roda de Boteco, que começou no mês passado e segue até o próximo sábado (12), pretende atrair 30 mil clientes nos 20 bares participantes. Nos primeiros 15 dias, alguns estabelecimentos registraram alta de 35% a 50% no fluxo. “Há um incremento, ainda, de 20% a 35% no faturamento”, afirma o organizador do festival, Carlos Alberto Santos. Ele acrescenta que muitos empresários em início de carreira aproveitam os eventos para se firmarem no cenário local.


O formato dos eventos, que estimula a competitividade e a criatividade entre os estabelecimentos participantes, é uma oportunidade para que os empresários mostrem suas marcas ao mercado. “Sendo assim, é preciso inovar na elaboração dos pratos, investir na melhoria do atendimento e, consequentemente, numa melhor qualificação dos funcionários”, explica o diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco (Abrasel-PE), Valter Jarocki.


De acordo com ele, até a forma de gerenciamento é trabalhada. “O empresariado precisa traçar estratégias de marketing diferenciadas, estabelecer metas, pensar em preços mais acessíveis para fidelizar os novos clientes após o término dos festivais”, afirma. A Abrasel-PE promove quatro dos 14 eventos gastronômicos que o Recife sedia todos os anos.


O festival Roda de Boteco, que começou no mês passado e segue até o próximo sábado (12), pretende atrair 30 mil clientes nos 20 bares participantes. Nos primeiros 15 dias, alguns estabelecimentos registraram alta de 35% a 50% no fluxo. “Há um incremento, ainda, de 20% a 35% no faturamento”, afirma o organizador do festival, Carlos Alberto Santos. Ele acrescenta que muitos empresários em início de carreira aproveitam os eventos para se firmarem no cenário local.

 

Fonte: Diario de Pernambuco

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2013/10/06/internas_economia,466167/festivais-gastronomicos-fomentam-polo-de-bares-e-restaurantes.shtml