Alepe e Abrasel-PE debatem uso do sangue animal na gastronomia

Reunião teve participação dos setores de Alimentos & Bebidas e aconteceu no auditório do Centro de Artesanato de Pernambuco (Cape), nesta quinta (25).

A utilização do sangue animal fresco em preparações culinárias foi discutida na tarde desta quinta-feira (25) pelas entidades do setor de Alimentos & Bebidas (A&B) no auditório do Centro de Artesanato de Pernambuco (Cape). A reunião foi promovida pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e Abrasel-PE.

Segundo o conselheiro de Administração da associação, André Araújo, o debate foi positivo, pois reuniu donos de restaurantes, representantes do setor de A&B, além de estudantes.  “A primeira reunião teve como objetivo conhecer os integrantes da cadeia produtiva aviária de Pernambuco, bem como as suas extensões na área de fiscalização”, reforçou André.

O encontro contou com a participação de representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Vigilância Sanitária do Recife (Visa - Recife), Agencia de Pernambuco de Vigilância Sanitária (Apevisa), Agencia de Desenvolvimento Agrônomo de Pernambuco (Adagro), Associação Avícola de Pernambuco (Avipe) e as Gerências de Saúde Municipais da Região de Petrolina e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

A presença das equipes sanitárias e a discussão técnica sobre novos procedimentos na forma de certificar o “modus operandi” na extração do sangue animal é o que será debatido na segunda reunião, dia 12 de novembro, às 16 horas, também no auditório do Cape.