Abrasel-PE quer a diminuição das taxas de administração de cartões

Trade gastronômico e turístico reivindica a diminuição do valor cobrado aos bares e restaurantes pelas administradoras de cartão de crédito, débito e vale-refeição

A Abrasel, com aval do Ministério do Turismo, está investindo em ações que tenham como objetivo desonerar as ações dos segmentos turístico e gastronômico no país. A entidade está reivindicando a ampliação da competitividade do setor por meio da redução das taxas administrativas cobradas pelas operadoras de cartões de crédito aos estabelecimentos do segmento da alimentação fora do lar. O pedido oficial foi feito por meio de um documento enviado à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, no último 27 de setembro.

De acordo com a associação, o percentual cobrado atualmente é de 4% para os cartões e de 6% no caso do vale-refeição, valores muito altos comparados a outros lugares do mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, essas taxas giram em torno de 1%.

Segundo Valter Jarocki, diretor executivo da Abrasel-PE, a redução desse valor será positiva para estabelecimentos de todo o país. “O governo federal está incentivando a redução dos juros do cartão de crédito e desonerou a folha de pagamento, e essa é mais uma ação que vai beneficiar a economia como um todo”, avalia o diretor da Abrasel-PE.

Paulo Solmucci, presidente da Abrasel nacional, afirmou o interesse do setor de que as máquinas de cartões passem a aceitar qualquer bandeira. "Queremos que seja determinado que qualquer cartão possa ser recebido por qualquer maquininha, como acontece em outros países. É só o Banco do Brasil estimular a Cielo a fazer isto” declarou Paulo Solmucci.

O presidente afirmou ainda que essa é uma luta de vários setores, não só do segmento da alimentação. “Queremos a ampliação da concorrência, para que o segmento trabalhe com valores mais competitivos e esse investimento possa ser repassado para o consumidor. Vamos lutar para que esse pedido seja aceito”, afirmou o presidente.