Regionalismo enaltecido na primeira semana do Recife D'Agosto


chefs renomados do Brasil elaboraram um cardápio especial que mescla sofisticação e elementos populares da gastronomia nordestina

Ladeiras de Olinda, Alto da Sé, praia de Boa Viagem, Mercado São José e Casa da Cultura. Esses foram alguns dos pontos turísticos que os chefs Beto Madalosso e Vitor Gomes visitaram nos últimos dois dias (20 e 21/08). A partir desse roteiro e das suas percepções sobre a cultura do Recife, os dois chefs elaboraram um menu especial temperado pelo regionalismo, com elementos singulares da nossa gastronomia, que foi apresentado terça, 21, no restaurante Leite, para convidados da Abrasel-PE do trade turístico e gastronômico.

A ação faz parte do Recife D’Agosto, evento promovido (Abrasel-PE) juntamente com a Prefeitura da Cidade Recife. Apóiam o evento a Secretaria de Turismo do Recife (Setur), a Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), a Fundação Gilberto Freyre, o Sebrae e o Senac. O evento segue na próxima semana, entre os dias 27, 28 e 29 de agosto com a mesma agenda.

Para o jantar do dia 21, Beto Madalosso, que comanda o Forneria Copacabana, em Curitiba, e Vitor Gomes, do Ponto G Gastronomia, localizado em Florianópolis, prepararam um cardápio que mesclava sofisticação com elementos populares. Para a entrada, feita a quatro mãos, um carpaccio de carne de sol ao molho de mostarda dijon e alcaparras, com folhas de rúcula e queijo coalho ralado. Na refeição principal, duas criações distintas. A primeira delas, assinada por Beto Madalosso, é o risoto de arroz negro com fruto do mar, temperado com limão e coentro. De acordo como chef, as preferências regionais foram levadas em conta na hora da elaboração. “Esse é um prato especial, que adaptei a realidade do Recife. Usei frutos do mar como camarões, anéis de lula e polvo, pois o litoral aqui é bem marcante, e finalizei o tempero com coentro, pois percebi que quase todas as refeições de Recife levam esse condimento”, avalia o chef.

Já Vitor Gomes elaborou para prato principal a paleta de cabrito assada, que demandou dois dias de cozimento para atingir o ponto. Como acompanhamento, a farofa de neston e o ratatuille do sertão, nomenclatura dada por ele para uma opção preparada partir de legumes como quiabo e abobrinha. Para fechar o menu, os dois chefs soltaram a imaginação e reinventaram um clássico da nossa gastronomia. O bolo de mandioca e coco veio embebido em calda de cachaça, acompanhado de sorvete de graviola e fitas de coco fresco, uma verdadeira obra de arte.

De acordo com Vitor, a troca de culturas que o Recife D’Agosto proporciona é muito rica, tanto para os chefs quanto para os que gostam de saborear a boa gastronomia.  “A influência nordestina na cozinha brasileira cresce a cada dia. Eu mesmo adoro queijo coalho, queijo manteiga e carne de sol. São produtos diferenciados, típicos dessa região. Para mim, como cozinheiro, é uma satisfação enorme está aqui, como convidado da Abrasel-PE, enaltecendo o terroir brasileiro”, afirma o chef.

Depois da rápida passagem pelo Recife, os chefs levarão o cardápio elaborado para seus restaurantes de origem. Os próximos chefs a desembarcarem no Recife serão Diego Koppe, do restaurante Babel (DF) e Ângela Sicília, do Família Sicília (PA), que chegam a cidade na próxima segunda-feira (27) e ficam na cidade até o dia 29 e cumprem agenda semelhante a dos últimos profissionais. Os chefs, além de cozinharem, também comandam palestras para estudantes de gastronomia e hotelaria, onde podem trocar experiências e dicas.


Valter Jarocki e os chefs durante o jantar

 


Os chefs Wellington Almeida, Beto Madalosso, Vitor Gomes e Alice Mesquita